Como funciona o rodízio em SP? Mudou alguma coisa na pandemia?

O rodízio de carros em São Paulo foi uma maneira de diminuir a quantidade de veículos que circulam pela cidade todos os dias. O rodízio SP funciona de acordo com as placas dos automóveis, propondo uma restrição de circulação em um dia da semana durante os dias úteis – de segunda a sexta-feira.

As regras de rodízio são aplicadas em uma zona conhecida como “centro expandido”. Essa área consiste na região ao redor do centro histórico de São Paulo e delimitada por um minianel viário. Você pode conferir no Mapa da CET a área do centro expandido.

A medida vem sendo adotada desde 1997, visando diminuir o trânsito e melhorar a qualidade do ar na cidade, principalmente nessas vias em que a circulação é ainda maior.

Durante a pandemia de Covid-19, o rodízio foi ampliado durante alguns dias, para evitar que mais pessoas circulassem na cidade. Porém a medida não surtiu o efeito desejado e foi cancelada na semana seguinte.

Antes deste modelo de rodízio mais restritivo, a cidade vinha experimentando um período sem o rodízio. De acordo com especialistas, era importante que, naquele momento, as pessoas evitassem o uso de transportes coletivos, uma vez que aglomerações representam um risco maior de contágio.

Qual o horário do rodízio em SP?

O rodízio SP ocorre em duas faixas de horário, buscando reduzir o tráfego em horários considerados mais movimentados. Durante a manhã, o rodízio funciona das 7h às 10h. Já durante o período vespertino/noturno o rodízio funciona das 17h às 20h.

Qual a placa do rodízio de hoje?

Como o rodízio atinge diferentes veículos a cada dia, é comum que os motoristas se confundam ou até se esqueçam desse detalhe – principalmente, para quem não está acostumado a circular pela cidade de São Paulo.

Por isso, é importante registrar o dia em que o seu veículo não poderá rodar por essas regiões. Veja abaixo quais carros não podem circular em cada dia da semana, de acordo com o final da placa.

Segunda-feira: final de placa 1 e 2.
Terça-feira: final de placa 3 e 4.
Quarta-feira: final de placa 5 e 6.
Quinta-feira: final de placa 7 e 8.
Sexta-feira: final de placa 9 e 0.

Multas do rodízio: o que acontece se não respeitar

Os motoristas que não respeitarem as restrições impostas pelo rodízio poderão ser multados e perder alguns pontos na carteira. Considerada uma infração média, a penalidade é uma multa de aproximadamente R$ 130,16, além de perder quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O acúmulo de multas, além de gerar um grande prejuízo financeiro, poderá levar o motorista a perder sua CNH, de acordo com a pontuação-limite.

O que mudou no rodízio com a pandemia?

Após dois meses de suspensão, no início da pandemia de Covid-19, o rodízio de São Paulo voltou a funcionar em maio, implicando em restrições ainda maiores. De acordo com as novas regras, carros com placas de final par (0, 2, 4, 6 e 8) só poderiam circular em dias de número par. Enquanto isso, os carros com placas em final ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só circulariam nos dias ímpares.

Como a medida não teve o efeito desejado, a prefeitura de São Paulo voltou ao modelo tradicional de rodízio.

Quer saber mais sobre as cores das placas de carro, os modelos de placas Mercosul e outras informações importantes? Veja mais no blog da Sodré Santoro!