Como funciona um leilão de imóveis

Está pensando em comprar um imóvel, mas ainda não decidiu como? Quer sair do aluguel, mas está com medo de fazer um mau negócio? Sonha em abrir um negócio, mas não tem um espaço ideal para isso? 

A solução para os seus problemas é o leilão, uma maneira excelente de fazer bons negócios e realizar seus sonhos. 

É possível encontrar diversos modelos de casas, apartamentos, terrenos e até prédios comerciais. O melhor de tudo é que, em geral, os preços são menores quando comparados com o restante do mercado imobiliário. Ou seja, as vantagens são inúmeras. 

Uma das modalidades de leilão mais conhecidas é a de carros. No entanto, o leilão de imóveis também é comum. É possível participar dos leilões, tanto online quanto presencialmente. Na opção online, é preciso fazer um cadastro em um site especializado, como é o caso da Sodré Santoro, e escolher o leilão que atende suas necessidades. Já na presencial, os interessados se reúnem em um auditório para fazer ofertas para arrematar o bem em questão.

Porém, assim como qualquer tipo de negócio, é importante conhecer como um leilão de imóveis realmente funciona antes de dar aquela última oferta. 

Para te auxiliar nessa busca, o blog da Sodré Santoro preparou um guia completo de como funciona um leilão de imóveis, com dicas especiais para se dar bem no lance final. Afinal, ninguém gosta de fazer um mau negócio. 

Entenda os tipos de leilão de imóveis

O leilão nada mais é do que uma venda pública que permite aos interessados fazer lances em lotes até que a oferta mais interessante vença. No caso de imóveis, existem dois tipos de leilão: o judicial e o extrajudicial. 

Conhecer suas diferenças é importante para garantir a segurança do seu dinheiro e, é claro, do seu negócio. 

No caso do leilão judicial, o imóvel geralmente é leiloado para que o proprietário faça a quitação de alguma dívida. Isso significa que a origem é por meio de um processo judicial.

Já no caso do extrajudicial o imóvel pode ser leiloado por diversas origens, como a alienação fiduciária. Isso indica que o imóvel é levado a leilão por falta de pagamento do financiamento bancário. 

O leilão de imóvel pode acontecer de forma presencial, quando os interessados se reúnem para dar lances pessoalmente, ou online, onde os lances são feitos à distância. Em ambos os casos, a Sodré Santoro, uma das líderes no mercado de leilões, oferece as melhores condições para quem deseja adquirir um imóvel novo.

Como participar de um leilão de imóveis

Depois de já ter cumprido algumas etapas antes de participar de um leilão, como visitar o imóvel com antecedência, caso seja possível, está na hora de participar de fato dos lances. 

Caso o leilão seja realizado em algum auditório, basta comparecer ao local com documentos pessoais. No caso de disputas online, é necessário fazer um cadastro previamente no site. 

As informações sobre o imóvel que será leiloado são descritas em um edital, algo que precisa ser lido com extrema atenção. Além das informações básicas sobre o imóvel, como localização e tamanho, é possível saber dados sobre o proprietário e as condições do local. 

Se você optar pelo leilão online, a dinâmica é simples e intuitiva. O sistema irá mostrar os lotes que estão sendo leiloados junto com os lances de outros interessados. É essencial ficar atento às mudanças nas negociações, visto que há sempre uma contagem regressiva para o fim do leilão.

Uma vez que o seu lance é aceito, é necessário passar por alguns processos, para que o negócio seja concretizado. Por exemplo, o lance realizado deve ser igual ou superior ao lance mínimo estabelecido no edital. Mais uma vez, é importante ler o documento antes de topar a participação no leilão.

No caso de leilões provenientes de garantia de alienação fiduciária, ou também conhecidos como leilões extrajudiciais, existe uma lei que estabelece o valor mínimo do lance em duas praças. Na primeira, o valor do lance mínimo é o de avaliação, e na segunda é o saldo devedor do contrato, somado a encargos e despesas especificadas em lei.

Assim que a parte burocrática estiver em dia, está na hora de fazer o pagamento do lance. Essa informação é dada antes do leilão e as formas para pagar são estipuladas pelo vendedor. Existem alguns casos em que só é possível acertar o valor à vista; em outros, existe a possibilidade de um parcelamento do valor. 

Dê um lance!

Agora que você já sabe como funciona um leilão de imóveis, basta procurar uma oportunidade para fazer um lance vencedor. 

É indicado para o interessado em adquirir o imóvel realizar uma pesquisa sobre o leilão antes de entrar no negócio. Verifique se o lote em questão possui alguma dívida ou grandes avarias na propriedade. Leia o edital com atenção e avalie se o negócio atende todas as suas necessidades. 

Por se tratar de uma venda pública, o leilão pode atrair todo tipo de interessado. Nesse momento, é importante definir qual será o seu lance máximo. Dessa forma, você evita qualquer tipo de contratempo e não gasta mais do que deveria na hora de dar aquela oferta final.

Para não comprometer todo o seu capital, também é essencial conhecer os gastos extras com o leilão. Por exemplo, é preciso pagar uma taxa de 5% da comissão adicional do trabalho para o leiloeiro — profissional que media o leilão. 

Existe a possibilidade de o imóvel precisar de manutenções e reformas, ou de assessoria jurídica para desocupá-lo caso o antigo proprietário ainda esteja habitando-o, o que também é um gasto a ser considerado com antecedência. 

Deixe uma quantia reservada apenas para estes gastos extras que podem surgir no momento em que você arrematar o leilão. Certamente, não irão surgir grandes surpresas no valor final do negócio. 

Agora que você já sabe como funciona um leilão de imóveis e as melhores dicas para entrar em um bom negócio, está na hora de fazer um lance. 

Conte com a expertise da Sodré Santoro para te ajudar a ter um imóvel novo!